Meu Intercâmbio em Dublin

Quem me acompanha no Instagram já viu os detalhes desde a minha decisão de sair do Brasil até o meu dia a dia em Dublin, na Irlanda. Quando cheguei na ilha, era apenas uma mulher de 35 anos realizando o sonho da adolescência de fazer Intercâmbio.  Com um projeto de estudar e trabalhar em Dublin, eu teria que cumprir todos os procedimentos legais exigidos pelo País e “meter a cara”.

Morei por três meses e meio na Ilha da Esmeralda, sendo que meus planos eram permanecer no mínimo oito meses, porém surpresas acontecem no meio do caminho e fui morar na Itália antes do programado.

As primeiras semanas em Dublin foram de desafios, a maioria por conta da língua, pois eu não falava absolutamente nada de inglês. A marcação para o visto e demais documentos, a abertura da conta no banco, a descoberta do exato transporte público e a busca por uma acomodação, fizeram meus dias intensos e de muito aprendizado. Eu percebia que tudo isso valia a pena quando, todas as manhãs, entrava na sala de aula com pessoas de diferentes países e culturas com o mesmo objetivo que o meu: falar bem o inglês.

Apesar de já ter passado dos 30 anos, tive momentos complicados, afinal nunca tinha vivido uma experiência parecida, ou seja, nessas horas a idade não conta tanto e no meu caso eu estava começando tudo do zero em um País onde eu não dominava a língua.

Com o passar das semanas, fui conhecendo pessoas incríveis, amizades eram construídas e você passa a viver exatamente a cultura e tudo aquilo que o País te oferece. Dublin é uma cidade onde você encontra pessoas de toda a parte do mundo. Os irlandeses são hospitaleiros e mesmo com semblante sério, é um povo alegre. Acreditem: tomar uma Guinness no Temple Bar escutando uma boa música irlandesa não tem preço.

O clima da Irlanda não é dos melhores, a maioria das pessoas já sabe disso, mas no meu caso, eu estava realizando um sonho, então não seria os dias cinzas que me deixariam tristes ou desanimada.

Meus planos de morar em Dublin por 8 meses começaram a mudar quando decidi antecipar minha ida para a Itália para dar entrada no processo de Cidadania Italiana e a partir daí voltei na Ilha apenas para buscar as malas e me despedir de um País que jamais esquecerei.

 

Juliana Gasparette

26/12/2019

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *